Skip to content

DEFAULT

8 thoughts on “ Trago Fados Nos Sentidos - Amália* - Amália Gostava De Ser Quem Era (Vinyl, LP, Album)

  1. Trago fados nos sentidos Tristezas no coração Trago os meus sonhos perdidos Em noite de solidão Trago versos, trago som, De uma grande sinfonia Tocada em todos os tons Da tristeza e da alegria. Trago amarguras aos molhos Lucidez e desatino Trago secos os meus olhos Que choram desde menino Trago noites de luar Trago planícies de flores Trago o céu e trago o mar Trago dores ainda .
  2. Amália da Piedade Rodrigues Lisboa, nasceu em 23 de Julho ou 1 de Julho de — Lisboa, faleceu em 6 de Outubro de Foi uma fadista, cantora e actriz portuguesa, considerada o exemplo máximo do fado, comummente aclamada.
  3. Trago fados nos sentidos Tristezas no coração Trago os meus sonhos perdidos Em noite de solidão Trago versos, trago som, De uma grande sinfonia Tocada em todos os tons Da tristeza e da alegria Trago amarguras aos molhos Lucidez e desatino Trago secos os meus olhos Que choram desde menino Trago noites de luar Trago planícies de flores Trago.
  4. Label:Columbia ‎– 11C Format:Vinyl, LP, Album, Gatefold ReleasedGenre:Folk, World, & CountryStyle:FadoTracklistA1Lavava No Rio Lavava A2Teus Olhos São Duas Fontes A3Fui Ao Mar Buscar Sardinhas A4Gostava De Ser Quem Era A5Ó Pinheiro Meu Irmão B1Tive Um Coração Perdi-o B2Se Deixas De Ser Quem És B3Trago Fados Nos Sentidos .
  5. Amália Rodrigues Liedtext: Trago fado nos sentidos: Trago fado nos sentidos / Tristezas no coração / Trago os meus sonhos pe.
  6. Amália (José Galhardo / Frederico Valério) Amália, quis Deus que fosse o meu nome, Amália, acho-lhe um jeito engraçado bem nosso e popular quando oiço alguém gritar Amália canta-me o fado. Amália, esta palavra ensinou-me Amália, tu tens na vida que amar são ordens do Senhor Amália sem amor não liga, tens de gostar e como até morrer.
  7. De manhã, que medo, que me achasses feia! Acordei, tremendo, deitada n'areia Mas logo os teus olhos disseram que não, E o sol penetrou no meu coração.[Bis] Vi depois, numa rocha, uma cruz, E o teu barco negro dançava na luz Vi teu braço acenando, entre as velas já soltas Dizem as velhas da praia, que não voltas: São loucas! São loucas! Eu sei, meu amor, Que nem chegaste a partir.

Leave a Comment